Quase acreditei

QUASE ACREDITEI

Quase acreditei que não era nada, ao me tratarem como nada”. Quase acreditei que não seria capaz quando não me chamavam, por acharem que eu não era capaz. Quase acreditei que não sabia quando não me perguntavam
por acharem que eu não sabia. Quase acreditei ser diferente entre tantos iguais, entre tantos capazes e sabidos,
entre tantos que eram chamados e escolhidos.

Quase acreditei estar de fora quando me deixavam de fora por que… Que falta fazia? E de quase acreditar adoeci; busquei ajuda com doutores, mestres, magos e querubins. Procurei a cura em toda parte e ela estava tão perto de mim.
Ensinaram-me a olhar para dentro de mim mesma e perceber que sou exatamente, como os iguais que me faziam diferente.
E acreditei profundamente em mim. E tenho como dívida com a vida fazer com que cada ser humano se perceba se ame, se admire de si mesmo, como verdadeira fonte de riqueza. Foi assim que cresci: acreditando.

Sou exatamente do tamanho de todo ser. humano. E por acreditar perdi o medo de dizer, de falar, participar, e até de cometer enganos. E se errar? Paciência continua vivendo por isso aprendendo. “E errar é humano.”

 

"Eu sou exatamento do tamanho que penso que sou". Fernando Pessoa.

 

 

                                      

                                                     COMENTAÍ

Anúncios

3 Respostas to “Quase acreditei”

  1. derek Says:

    olá eu aqui novamente ,me diga uma coisa vç disse que faltou um comentario ? boei !rsrsrss

  2. Ana Maria Says:

    Estou encantada com seu trabalho, muito bem elaborado, inteligente, e fácil acesso… é preciso amor para fazer as coisas… Estou vendo que vc tem o maior carinho com a sua invenção, muita criatividade….. Parabéns querida, siga em frente. Sempre que eu entrar quero encontrar coisas novas em rsrsrsrsr????? Pesquisa um pouco de mensagens super diferentes….. Ma tá tudo de muito bom gosto viu??? Parabéns!!!!!! Fica com DEUS !!! vc, e todos os seus….. Bjossssss… Ana Maria

  3. Ana Maria Says:

    Quem é gentil nunca se magoa, mesmo quando empurrado pelas tempestades de alguém. Por ser flexível como o salgueiro, a pessoa gentil curva-se com o vento mas nunca se quebra. Sua flexibilidade a protege das situações destruidoras da natureza rebelde de alguém. Por isso sua fisionomia permanece sempre sorridente e tranqüila, com o brilho cristalino da jovialidade.” (António Sequeira) Obrigada pela gentileza, vc é atenciosa e especial…. Desejo o melhor para vc….. bjoss Ana Maria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: